A ciência descobre que perdoar pode acelerar o seu processo de desenvolvimento pessoal e profissional

Facebookgoogle_pluslinkedin

A ciência descobriu que perdoar acelera o processo de desenvolvimento pessoal e profissional?

Perdão?!

Sim, pesquisadores descobriram que perdoar estimula positivamente sua saúde física e emocional. E você, sabe perdoar? E pedir perdão?

Sei que é difícil perdoar e pedir perdão para muitos de nós, talvez mais árduo para alguns e menos para outros. Porém, o exercício de pedir perdão ou perdoar tanto no âmbito pessoal como no mundo corporativo, tem sido um assunto bastante discutido nos meios acadêmicos.

Nota.: caso não queira utilizar a palavra perdão, até porque é um vocábulo pouco utilizado no meio profissional, use o termo “pedir desculpa”.

Pesquisadores da Luther College e da Universidade da California, descobriram que pessoas indulgentes, ou seja, pessoas que perdoam com maior facilidade, estão mais protegidas dos efeitos negativos oriundo do stress. É exatamente isso!

Os pesquisadores constataram que apesar do elevado nível de stress pelo qual passaram um grupo pesquisado, as pessoas com maior facilidade de perdoar praticamente eliminavam seus problemas físicos e emocionais decorrentes do stress. Isso mesmo, o perdão elimina os efeitos nefastos do stress!

Todas as pessoas possuem alguma dificuldade em perdoar ou pedir perdão. Mas a pesquisa sugere que devemos possibilitar verdadeiramente uma segunda chance para os outros, e principalmente para nós mesmos.

A simples prática de perdoar atua como uma espécie de escudo contra os males e desafios que à vida moderna oferece. O resultado desta pesquisa é muito importante para refletirmos como estamos agindo com relação ao ato de perdoar ou não.

O resultado da pesquisa é simples, mas desafiador. Quem perdoa vive melhor, e quem não consegue perdoar sente ferozmente os efeitos do stress. E principalmente, sente o stress de forma absoluta e seus severos efeitos. Esta foi uma das sugestões do principal autor do estudo, o professor Loren Toussaint da Luther College.

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível. São Francisco de Assis

Profissionais da saúde e pesquisadores diagnosticaram que os resultados advindos da falta de perdão provocam doenças no corpo e também causa isolamento, culpa e depressão.

Agora uma pergunta: porque temos tanta dificuldade em perdoar?

Será que sabendo dos benefícios adotaremos o perdão como parte da nossa rotina?

Desconfio que não, pois muitos se enganam pensando que pedir perdão é um sinal de fraqueza, porém, presumo que esteja enganado quem pensa desta forma.

Refazer um mal-entendido, reconhecer um ato ofensivo, aumentará a confiança nas relações humanas. Este é um ato de humildade, fato raro no mundo corporativo, por exemplo.

Não acertamos sempre e muito menos sabemos de tudo. Erramos! Somos falhos! Não admitir um erro pode na verdade ser considerado um ato de fraqueza.

Neste contexto podemos inclusive causar mal entendidos que duram uma vida inteira e não permitem nenhum crescimento. Talvez, tomado por uma excitação emocional pontual, podemos atacar um amigo, um familiar ou um colega de trabalho. Não seria mais simples e prático pedir perdão?

Talvez sim, mas é preciso uma dose de humildade e nem sempre estamos dispostos a isso. Sem humildade seria impossível pedir perdão pela falha. Sem humildade, você sequer consegue aceitar que cometeu um erro, menos ainda solicitar desculpas pelo erro.

Embora o estudo do professor Loren Toussaint não consiga dizer de que maneira atitudes piedosas protegem a nossa saúde, os pesquisadores sugerem que pessoas mais tolerantes possuam melhores habilidades para lidar com as adversidades da vida. Estas pessoas inclusive adotam uma reação mais suave em situações estressantes.

O que acha de praticar o perdão?

Você só pode dizer que este será um hábito a ser acrescentado em sua vida (caso ainda não seja!) se realmente “assumir o compromisso e postura” de perdoar incondicionalmente, pois esta intenção irá provocar uma maior disposição para o ato de perdoar. Lembre-se que as pesquisas indicam que esta atitude apenas trará benefícios para a sua saúde e consequentemente ajudará no seu desenvolvimento.

Perdoar não é um sentimento, é uma decisão. Logo, decida perdoar, pois será a melhor decisão a ser tomada e a que trará maiores benefícios para a sua vida.

Lembre-se: a postura de praticar o perdão praticamente elimina o vínculo entre stress e “doenças”. Como todos nós queremos nos sentir bem, o perdão vem justamente para permitir e estimular esta possibilidade.

Um abraço,

Vida que segue.

Jeferson.

Facebookgoogle_pluslinkedin

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *