Os dez passos para você planejar e alavancar uma carreira de sucesso – Passo 2 de 10 – Equilíbrio Emocional

Facebookgoogle_pluslinkedin

Os dez passos para você planejar e alavancar uma carreira de sucesso – Passo 2 de 10

Olá Pessoal!

Resolvi escrever “Os Dez passos para você planejar e alavancar uma carreira de sucesso”.

A ideia é apresentar táticas para conseguir uma promoção no trabalho. Você pode e deve desbloquear todo o seu potencial para impulsionar ainda mais sua ascensão profissional.

Nas próximas semanas estarei apresentado estes dez passos/táticas.

Hoje vamos falar do primeiro passo:

Equilíbrio Emocional

Nota-se em geral que as pessoas depositam relativa importância para a capacitação técnica, e está correto este pensamento, todavia as pessoas esquecem de buscar preparar-se “emocionalmente” para os desafios do dia a dia.

Nota.: os princípios aqui citados estão voltados para o ambiente profissional, mas nada impede que você o avalie sobre uma perspectiva “pessoal”.

É possível observar nas empresas que atuei que alguns profissionais possuem pouca ou quase nenhuma inteligência emocional. Em situações difíceis e que requerem moderação e grande capacidade de resiliência, é possível notar o completo despreparo neste aspecto.

Afinal, o que seria “Inteligência Emocional”? Pode-se dizer que é uma habilidade de lidar com os próprios sentimentos, adaptando-os conforme a necessidade da situação e manifestando-os de maneira salutar para o grupo na qual você está inserido e principalmente para si mesmo. Pessoas com elevado grau de “inteligência emocional” sabem exatamente o que sentem, o que significam suas emoções e como elas podem afetar elas mesmas e outras pessoas ao seu redor.

Às vezes em reuniões onde invariavelmente sofre-se alguma pressão – maior ou menor – por resultados, algumas pessoas mostram-se completamente desequilibradas com atitudes nada profissionais. É exatamente nestes momentos “que nosso futuro é traçado”, pois estamos sendo observados por outros membros da equipe, e principalmente por nossos superiores. Nossas atitudes irão falar verdadeiramente quem somos e quem não somos.

Em momentos como este por exemplo, onde envolve principalmente um clima um pouco mais tenso, ao invés de estimular o diálogo e propor alternativas, observamos outras pessoas estimulando justamente o contrário, ou seja, as pessoas se atacam e não assumem a responsabilidade por eventuais equívocos/problemas. Fica evidente a falta de maturidade e da completa ausência do controle das emoções.

A nossa capacitação precisa ser completa, ou seja, técnica e também (e principalmente) emocional.

Uma atuação com maturidade e equilíbrio na expressão de sentimentos, interesses, necessidades e expectativas de forma geral, não é observada em situações de tensão e também no dia a dia. Diria que seria interessante procurarmos gerar uma gestão de “bem-estar” onde os profissionais se dispõem para avaliar o impacto que eles mesmos geram no ambiente e nas pessoas ao redor. Precisamos urgentemente administrar melhor nossas emoções.

O profissional com esta competência pouco desenvolvida é muito “sensível” e explicita facilmente o que sente e contamina o ambiente de trabalho. A pessoa age por impulso, o que pode provocar situações desconfortáveis para toda equipe e acaba gerando um desgaste desnecessário no clima organizacional como um todo, além de acarretar uma perda de produtividade significativa.

Quanta gente despreparada emocionalmente podemos observar em visitas a clientes, fornecedores, e também onde trabalhamos. Quem nunca viu uma cena de desequilíbrio de um Líder?

Porém, o que realmente envolve o equilíbrio/inteligência emocional? Está ligada a capacidade de gerenciar adequadamente cada uma das áreas abaixo de acordo com o psicólogo americano Daniel Goleman. Segundo o psicólogo quanto maior a capacidade de domínio das áreas abaixo, maior será sua inteligência emocional.

Áreas: Autoconhecimento, autocontrole, motivação, empatia e habilidades sociais.

Autoconhecimento: trata-se de reconhecer um sentimento assim que o mesmo surge. Como? Preparando-se e compreendendo o que o tira do sério. É essencial o profissional se conhecer e principalmente saber quais são os seus limites.

É interessante também conhecer seus pontos fortes, fracos e se comportar com humildade. Faça testes de autoconhecimento.

Examinar o porquê das suas emoções e escolher a melhor maneira de reagir a elas é uma sábia atitude para desenvolver o seu autoconhecimento.

Práticas sugeridas: praticar um esporte individual – pois possibilitará o contato entre você e você. Isso mesmo. Meditar, terapia, avaliação 360 e coaching podem também ajudá-lo no seu processo de autoconhecimento.

Autocontrole: é a capacidade de exercitar o controle dos impulsos, sentimentos aflitivos e das emoções, e adequar conscientemente todos estes sentimentos à situação. Parece ser uma tarefa difícil, mas quando estamos conscientes da necessidade de exercitar o autocontrole, estes impulsos serão condicionados e controlados.

Estar consciente nos permite evoluir e pensar antes de agir, com isso teremos um elevado grau de controle sobre as próprias decisões.

Devemos nos preparar para situações complicadíssimas, do contrário, estas situações podem atingir negativamente o seu equilíbrio emocional. Desenvolver a capacidade de adaptação a diferentes sentimentos é primordial para a você conseguir uma promoção.

Práticas sugeridas: “não discutir em público, não tomar decisões precipitadas ou no calor das emoções”. Não considere as pessoas como estereótipos e não as desvalorizem. Estimule e ajude no bom relacionamento entre as pessoas da sua equipe e das demais áreas.

Faça um exercício para conhecer melhor seus valores e dedique algum tempo para avaliar seu código de conduta. Dominando de forma adequada seus valores, não terá que pensar sobre como lidar com uma decisão moral por exemplo.

Assumir a responsabilidade sem ficar culpando outras pessoas/áreas permitirá a você evitar situações de descontrole emocional. Lembrando que assumir nossos erros e suas consequências é uma atitude que gera respeito pelas demais pessoas, além de transmitir uma imagem muito positiva de honestidade e humildade.

Motivação: procure de alguma forma guiar suas emoções para um “objetivo maior”, isso permitirá você procurar estar sempre atento e motivado. Esteja preparado para sempre se motivar. Atitudes de otimismo e principalmente com foco no resultado ou meta final podem torná-lo motivado de forma contínua.

Procure continuamente buscar a realização profissional de forma entusiástica, e mantendo sempre o otimismo diante das frustrações que surgem ao longo do caminho. Procure ser persistente e eleve os padrões de qualidade.

Práticas sugeridas: faça uma reflexão a respeito do seu trabalho e por que o faz. Procure lembrar-se do que gosta no trabalho e porque fez esta escolha. Atualize sempre seus objetivos, pois isso irá motivá-lo e animá-lo.

Procure ter “consciência” da sua maneira de agir e busque saber por que está ou não motivado.

Independentemente das dificuldades e desafios, seja otimista e busque sempre o melhor no seu trabalho. Toda vez que enfrentar um problema ou mesmo uma frustração, procure ver algo de bom nestas experiências.

Empatia: procure observar e compreender os sentimentos alheios. Testar sua capacidade de se colocar no lugar do outro é uma excelente prática que permitirá a você experiênciar verdadeiramente o processo de empatia. Fazendo este exercício você rapidamente conquistará as pessoas a sua volta e estas o reconhecerão como uma pessoa compreensiva, aberta e apoiadora. Fazer críticas construtivas e ouvir aqueles que precisam também geram empatia.

Estas ações serão fundamentais para a tarefa de liderar uma equipe e buscar um equilíbrio emocional favorável. Além disso, ajudará você e as pessoas do seu departamento/área a se desenvolverem. Para você ganhar respeito e a lealdade das pessoas, procure sempre estar exercitando atitudes empáticas.

Práticas sugeridas: Ofereça muita atenção à linguagem corporal das pessoas, pois é desta forma que algumas pessoas demonstram seus sentimentos. Procure entender o ponto de vista do outro se colocando em seu lugar, e procure principalmente respeitar os sentimentos dos demais, pois somos seres humanos e muito diferentes um do outro.

Procure ouvir as pessoas sem interromper, muitas vezes não somos capazes de exercitar a escuta ativa e ficamos interrompendo.

Ao adotar estas posturas você será percebido como alguém compreensível, apoiador e receptivo, ou seja, empático.

Habilidades sociais: é a capacidade de se relacionar com as pessoas e ver a vida com energia positiva. Não se limitando simplesmente a observar as pessoas, mas buscar entender os outros e procurar ser alegre nos relacionamentos. É ser uma pessoa atuante e engajada.

Pessoas que dominam estas habilidades são em alguns casos pessoas que se comunicam muito bem. Elas dificilmente se assustam ou ficam surpresas com as boas ou más notícias, elas são especialistas na obtenção de apoio do grupo para a conclusão de tarefas, projetos ou uma atividade. Este tipo de profissional é capaz de gerenciar muito bem as mudanças e os conflitos.

Como desenvolver as habilidades sociais: sendo otimista e evoluindo no processo de comunicação, ou seja, construindo uma comunicação clara e objetiva de forma confiante. Descubra uma forma eficiente de resolver conflitos através do processo empático.

Resista às frustrações do dia a dia e aprimore sua capacidade de reagir proporcionalmente aos estímulos externos. Canalize de forma saudável e produtiva a sua ansiedade, agressividade e impulsividade. Atuar com paciência e maturidade deve ser uma atitude cotidiana.

Conclusão

O equilíbrio emocional não é algo fácil de ser obtido, mas é algo que se aprende e que pode ser melhorado por meio de treino, esforço e persistência. A pessoa (ou líder) é aquela que trabalha e interage com os outros de forma harmônica. É uma pessoa que possui uma sólida compreensão dos seus sentimentos e principalmente sobre como isso pode afetar os demais.

Young woman holding emotive masks

A capacidade intelectual é importante e pode abrir portas, mas é o seu equilíbrio emocional o responsável por suas promoções. Você alavancará sua carreira evoluindo nestas cinco áreas.

Leve o tempo que for necessário para aprimorar seu autoconhecimento, autocontrole, motivação, empatia e as habilidades sociais. Cada pessoa tem o seu tempo. Todas essas habilidades vão ajudá-lo a se destacar no futuro.

Lembre-se que uma pessoa emocionalmente equilibrada não reprime suas emoções, apenas aprende a gerenciá-las de modo a manifestá-la no momento mais adequado possível.

Estas competências tornaram-se importantes nos últimos tempos e existem empresas que estão elaborando programas de desenvolvimento para fortalecê-las nos profissionais que estão sendo preparados para uma promoção. Não espere um programa como este ser estabelecido na sua empresa, antecipe-se e realize/implemente as dicas que apresentei para que você seja percebido como alguém altamente capaz e preparado para agir com inteligência emocional “hoje”.

Novamente: o equilíbrio emocional está rigorosamente ligado ao sucesso profissional, em especial de profissionais que são promovidos ou que já ocupam cargos de liderança.

 Agora eu quero saber de você: como está o seu controle emocional? Deixe seu comentário.

Se gostou, curta e compartilhe!!

Um abraço,

Vida que segue.

Jeferson.

Facebookgoogle_pluslinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *